7 de jun de 2010

Acupuntura tem efeito analgésico, aponta pesquisa

Cientistas querem desvendar os efeitos da acupuntura (Foto: Arquivo)

Um estudo publicado na revista especializada Nature Neuroscience ajuda a desvendar os mistérios do efeito da acupuntura sobre a dor.
De acordo com cientistas americanos, as agulhas usadas em certos pontos do corpo ativam receptores cerebrais responsáveis pela dor, causando efeito analgésico.
Até agora, muitos cientistas acreditavam que os resultados se deviam ao efeito placebo.
Os testes foram realizados com ratos de laboratório.
Cientistas inseriram no ponto E-36, localizado no joelho, as agulhas usadas na acupuntura, girando-as a cada 5 minutos durante meia hora, como num tratamento padrão.
Após essa operação, foi detectado que os níveis de adenosina (neurotransmissor com efeito sedativo) nos tecidos ao redor da agulha apresentaram uma forte alta e o desconforto dos camundongos foi reduzido em dois terços.
O mesmo teste foi realizado em camundongos geneticamente criados para apresentarem falta de adenosina no organismo.
Neles, a acupuntura não apresentou nenhum efeito e o desconforto permaneceu.
Os cientistas aplicaram, então, uma droga que impede que o tecido destrua a pouca adenosina presente. Com a droga, o nível de adenosina nos músculos subiu e o tempo de duração dos efeitos da acupuntura triplicou.
"Em certas partes do mundo, a acupuntura faz parte dos tratamentos médicos há 4.000 anos.
Mas como ela nunca foi entendida completamente, muitos se mantinha céticos em relação a ela", disse o coordenador da pesquisa, Maiken Nedergaard, da Universidade de Rochester, em Nova York.
Para entender o precesso da acupuntura, pesquisas anteriores se focavam nos efeitos da acupuntura no sistema nervoso central e não nos nevos periféricos.
No sistema nervoso central, a acupuntura provoca sinais capaz de fazer com que o cérebro produza um neurotransmissor chamado endorfina, substância química ligada ao relaxamento e bem-estar.
copiado de http://veja.abril.com.br/noticia/saude

Nenhum comentário: