Um pouco sobre mim...

Minha foto

Sou alguém que se encanta pela vida no dia a dia, descobrindo sempre novas formas de agir, se melhorando e tentando melhorar o seu redor. Acreditando que a Luz está dentro de cada um e que ela deve iluminar sempre a caminhada. Tenho como intenção: fazer amigos, aperfeiçoar a vida, dedicar-me às boas obras, promover a verdade e reconhecer nos semelhantes meus irmãos de caminhada. Descobrindo sempre mais e mais de vários mundos: Mundos terapêuticos, ideais, sustentáveis, mágicos, de Paz...

30 de mar de 2018

E o Universo conspira... nova parceira... novos aprendizados...


texto copiado do seu blog : https://taroeastrologia-christianeforcinito.blogspot.com.br/



Tarot medieval

Neste texto irei contar a minha história com o tarô e a astrologia. 

Abri este blog em 2012, porém tiveram outros antes que eu acabei fechando as visualizações. 
Este aqui ficará aberto e darei continuidade por aqui.

O Tarô veio antes da astrologia e é uma paixão desde meus 9 anos de idade (1981), quando comecei a estudá-lo através de uma revista chama "A sua sorte". 
Era difícil ter de esperar as 6 cartas na semana seguinte e demorei 13 semanas para unir todo o baralho. E por muito tempo usei apenas os arcanos maiores na minha leitura. 
Somente aos 16 anos (1989) iniciei meus estudos na astrologia com o astrólogo e ainda amigo Márcio Cassoni.



Eu e meu professor e grande amigo Márcio Cassoni em Outubro 2017


De lá para cá foram muitos anos. 
Comecei lendo cartas e fazendo mapas para amigos e familiares. 
Comecei a ler para estranhos trabalhando em feiras esotéricas e beneficentes, tudo muito informal até que eles acabaram se tornando meu "ganha pão" dos 23 aos 25 anos, mas quando me casei em 1998 guardei este conhecimento por 12 anos em uma caixinha, pois me converti ao catolicismo. 
Não deixei de gostar ou acreditar, entretanto resolvi guardá-lo como um ato de fé e amor justamente pela minha imaturidade e por não compreender naquele tempo a dimensão deste conhecimento.



Imagem digitalizada de um antigo cliente meu. O mapa eram desenhado


Retornei aos estudos em 2008 quando cursava filosofia e história, porém como estudante de filosofia isso era mal visto pela academia e por isso me calei e continuei de forma bem vagarosa rever o que eu havia estudado no passado.

Em 2010, depois do meu divórcio retomei com mais atenção. 
Naquela época comecei a ir em encontros, bate papos, palestras, fóruns, porém tudo mais voltado para a astrologia. 
O tarô ainda caminhava a caminhos mais lentos. 
Eu precisava amadurecer em muitos aspectos, havia ainda um preconceito da minha parte por não se ver "vivendo disso" e em 2010 a fotografia me tirou do limbo e fez com que eu me dedicasse apaixonadamente todo tempo para isso.



Entre os astrólogos e amigos que admiro Elias Mendes, Lúcia Mazzini (in memoriam) e Miguel Etchepare


Foi quando, em 2011, eu acabo conhecendo através do grupo "Astrólogos" no Facebook onde eu era moderadora, aquela que se tornaria uma das minhas melhores amigas, a Patrícia Kroger e junto dela e da Ruth Sasaki (conheci no mesmo ano) passamos a nos encontrar todas segundas à noite para estudarmos astrologia horária e depois o tarô. 
Este trio ficou unido por um ano e depois por conta das nossas vidas demos um tempo, mas a minha amizade com a Patrícia se consolidou e voltamos e toda sexta à tarde passamos a nos encontrar para estudar, foi quando comecei a estudar os arcanos menores e ficamos assim até 2016. 
Nós duas tínhamos muito em comum. 
Além da astrologia e do tarot somos fotógrafas e amamos lutas marciais, pelo fato dela ser tão plural como eu isso me ajudou muito no meu processo e amadurecimento.



A minha bbf Patrícia Kroger


Acabo abrindo este blog em 2012, pois novamente coloquei a minha atenção no tarô estudando os arquétipos, mas novamente mudei o foco porque eu comecei um curso de constelação (já participava de constelações há dois anos) e estava cursando a minha primeira pós graduação em educação. 
Neste mesmo ano também fui convidada a trabalhar em um projeto teatral como fotógrafa e aceitei feliz da vida colhendo muitos frutos deste trabalho ainda hoje.



No bar com amiga Gil


ensinando filhinha


Mesmo assim eu continuava me encontrando com a Patrícia e estudando com ela, ensinava minha filha Sophia e fazia alguns atendimentos. 
Até em mesa de bar fiz atendimentos. O tarô me pagou muita cerveja (risos)

Em 2013, ano muito transformador, eu me torno consteladora sistêmica. 
O tarô e a astrologia continuaram escondidinhos, pois eu não queria que vissem a constelação como um ramo do esoterismo (sim, eu sei, aí está o meu preconceito). 
Neste mesmo ano eu ainda trabalhava no projeto teatral e como professora em uma escola, minhas constelações foram enveredando para a educação e coloquei foco em estudar a teoria das constelações aplicando-as na educação. 
Durante os anos na escola a direção não gostava disso e isso foi o fator determinante para a minha demissão em 2017. 
Isso contribuía para o meu preconceito, pois se nem as constelações eram bem vistas imagina o que pensariam em relação ao tarô e a astrologia...

Este sentimento começou a mudar em 2015 quando ministrei o meu primeiro curso de tarô mitológico e estudando mais para montar as aulas e ensinar com responsabilidade tive o "eureca". 
A partir disso retomei os estudos com o tarô de forma mais sistemática me focando nos mitos e nas diferenças entre as cartas de tarô.

Já no ano seguinte foi maravilhoso. 
Eu estava namorando e apaixonada e trabalhava com todas as minhas facetas. 
Tudo frutificou. 
Eu dava aulas de filosofia, sociologia e história em uma escola particular, constelava clientes uma vez por semana, atendi pessoas com a astrologia e com o tarô (percebi que eu lado mais forte é o tarot), ministrei mais dois cursos de tarô mitológico para iniciantes e tudo foi tomando forma. 
Claro que esta mudança de visão veio ao encontro com um processo de amadurecimento, autoconhecimento e empoderamento pessoal.



Turma linda de tarô mitológico

Em 2017 a vida me breca, dois meses antes de janeiro passei por mais uma separação e me vi sozinha novamente. 
Senti que era o momento de estudar mais, embora neste ano as atividades ficaram mais focadas na escola e nas constelações o estudo do tarot tomou mais forma e seriedade. 
Neste ano trabalhei pouco com fotografia, com a astrologia, com o tarot e comecei a minha segunda pós graduação em pedagogia sistêmica.


Fui demitida da escola em Dezembro de 2017 e eu já estava estudando o tarô de forma mais séria à algum tempo e assim volto aos atendimentos com as cartas. 
Estes atendimentos junto com as constelações tem pagado as minhas contas desde então.




Neste último fim de semana (24/25 de Março) na pós graduação que curso sobre pedagogia sistêmica em um exercício vivencial revemos a nossa "linha do tempo acadêmica" e neste pude comprovar o quanto meu caminho na astrologia e no tarô choravam e se entristeciam comigo por eu não dar a devida atenção. 
Eu me reconciliei, reconheci meu preconceito e feito isso ambos (principalmente o Tarô) tomou uma força incrível agregando tudo que sou hoje. 
Acho que só quem já passou por uma constelação (assistindo, participando ou constelando) vai compreender este meu último parágrafo.

E assim chego a este ponto de minha estrada retomando este blog. 
Espero não só dar conta de tudo que faço e estudo como também que vocês gostem. 
Quero que este blog seja um lugar seguro para todos aqueles que, como eu, procurem por boas referências.

No mais para quem quiser há ainda a minha página no Facebook e no Instagram onde escrevo conselhos diários do Tarô. 

Atenciosamente

Christiane Forcinito.

Nenhum comentário: