Um pouco sobre mim...

Minha foto

Sou alguém que se encanta pela vida no dia a dia, descobrindo sempre novas formas de agir, se melhorando e tentando melhorar o seu redor. Acreditando que a Luz está dentro de cada um e que ela deve iluminar sempre a caminhada. Tenho como intenção: fazer amigos, aperfeiçoar a vida, dedicar-me às boas obras, promover a verdade e reconhecer nos semelhantes meus irmãos de caminhada. Descobrindo sempre mais e mais de vários mundos: Mundos terapêuticos, ideais, sustentáveis, mágicos, de Paz...

27 de fev de 2012

Quais são os oligoelementos e sua influência sobre o cabelo?

Oligoelementos são minerais necessários para a atividade celular normal.
Desempenham um papel essencial na saúde do cabelo.
A falta deles pode produzir mudanças muito importantes.
Oligoelementos entrar em nosso corpo através dos alimentos.
Se a alimentação foi equilibrada os oligoelementos necessários são ingeridos.
Mas os métodos de cultivo modernos, de produção e processamento do alimento, faz com que a sua presença em nossos alimentos estejam abaixo do que é necessário.

Além a ingestão de uma grande quantidade de produtos refinados aumenta escassez dos minerais na dieta.

Investigações em nutrição, concluíram que um grande número de anomalias capilares são devidas a deficiências destes oligoelementos.

Nossos estudos clínicos tentam descobrir o que essas interações minerais cujas ausências são capazes de produzir a disfunção capilar e quais as quantidades necessárias para resolver essas carências.
 
Oligoelemento
 sua deficiência pode causar fontes alimentares
Enxofre Cabelos fracos Carne, peixe, ovos, leite, repolho, aspargos, alho-poró, alho e cebola.
Cobre falta de pigmento no cabelo (embranquecimento) nozes, cacau, feijão, ervilhas, lentilhas, trigo, aveia, soja, pimenta, ameixas secas, verduras, peixes e frutos do mar mais
Magnésio  perda dos cabelos Vegetais de folhas verdes, legumes, nozes, algumas frutas e peixes em geral, beterraba, espinafre, trigo, aveia, batata, cenoura, amêndoas, nozes, avelãs, castanhas, arroz, cerejas e bananas
Manganês As alterações na cor do cabelo e do crescimento lento do cabelo  Frutos secos, grãos integrais, farelo de trigo, gérmen de trigo, legumes, feijão, soja, sementes de girassol e de gergelim, gema de ovo, legumes e verduras, espinafre, alho, aipo, agrião, brócolis , couve-flor, repolho, alface, repolho, cebola, aspargos, cenouras, salsa, alfafa. cerejas, maçãs, uvas, abacaxi, laranja, coco, gengibre, azeite e chá.
Selênio Caspa Levedura de cerveja, cereais integrais, gérmen de trigo, legumes, nabo, acelga, salsa, rabanete, cenoura, gengibre, cebola, tomate, brócolis, alho, limão, laranja, ovos, cogumelos e os produtos do mar
Silício Queda de cabelo Grãos (aveia, cevada, centeio), lentilhas, fermento, milho, alho, cebola, alcachofra, alho-poró, couve-flor, repolho, aspargos, espinafre, pepino, repolho, alface, cenoura, verduras, abóbora, melancia, morango, nozes, figos, amêndoas, coco, pêssego, cereja e rabo de cavalo.
Iodo Cabelos secos Frutos do mar, sal marinho, peixe, marisco, água, verduras e legumes cultivados em solos ricos de iodo, cebola, alcachofras, feijão, alface, feijão, agrião, couve, espinafre, cenoura, alho-porro, soja, nabo, pêra, rabanete , alho, urucum, rabanete, batata, beterraba, cogumelos, tomate, romã, melancia, uvas vermelhas, Poma, morango, abacaxi, framboesas, ameixas, bananas, peras,
Zinco Alopecia (calvície) seborreica fígado, carne bovina, suína, peixe, cordeiro, legumes, feijão, beterraba, trigo, milho, repolho, alface, espinafre, pêssego, cenoura, cogumelos, gema ovo, crustáceos e moluscos.

 
 copiado de http://www.instituto-capilar.com/que_son_los_oligoelementos_y_su_influencia_en_el_pelo_articulo_es.html


21 de fev de 2012

CÂNCER DE MAMA - A ajuda da Oligoterapia

O câncer de mama é a principal causa de doença neoplásica em mulheres de 35 a 45 anos com mais de 16.000 casos por ano na Espanha.
Por região, houve alguma variação, de modo que na Catalunha é onde a doença tem uma incidência maior.

Mas se os dados e a freqüência são negativos, os dados promissores é a elevada taxa de sobrevivência apresentados por estes tumores, especialmente quando o diagnóstico é precoce, de modo que em Espanha, a taxa de sobrevida em 5 anos após o diagnóstico é de 78% , o que representa  um patamar acima da média europeia.
Por estas duas razões, (a freqüência e a alta taxa de sobrevivência), há um número significativo de mulheres que tiveram câncer de mama que foi resolvido na maioria dos casos por cirurgia e outros tratamentos convencionais mas por causa da doença e métodos terapêuticos próprios, causaram uma série de queixas e efeitos adversos que podem diminuir a qualidade de vida das pessoas afectadas.
Algumas dessas situações podem ser tratadas com Oligoterapia, de forma independente ou como terapia adjuvante.
Veremos então o que estas situações e os oligoelementos a aplicar em cada caso:

Pós-operatório
Fadiga pós-operatório:
Muitas vezes, após a cirurgia (este tratamento é aplicado a outras intervenções), há um estado de cansaço e falta de vitalidade que é ainda mais acentuado quando houve uma perda de sangue mais ou menos importante durante a operação.
Neste caso, os oligoelementos a serem utilizados são:
Cobre-ouro-prata: Como um estimulador de todas as funções corporais, tanto físicas quanto psíquicas, como imunológicas.
Manganês-cobre-cobalto: estimula a eritropoiese e, assim, contribui para a recuperação do sangue.
Passar o gel contendo os oligoelementos, no pulso ao acordar.
Manter o tratamento de cerca de 1 mês.
A infecção de ferida:
Sem prejuízo do tratamento específico, que pode exigir isso, há uma associação de oligoelementos que podem contribuir para melhorar esta situação:
Manganês-Cobre: ​​Ao utilizar em nível tópico, atua como um anti-séptico e cura.
O padrão a ser seguido neste caso é a seguinte:
• Aplicar 2-3 vezes ao dia numa gaze sobre a lesão até que o produto seja completamente absorvido.
• Se a infecção está produzindo sintomas gerais: febre, mal estar .... aplicar uma dose diária de Cu-Au-Ag ao acordar, pois é estimulante do sistema imunológico em geral.

Complicações após cirurgia
Linfedema:
A perturbação da circulação linfática após a cirurgia, o linfedema ocorre frequentemente, sendo uma das complicações mais comuns deste cirurgia. Além do tratamento convencional, incluindo, claro, as técnicas de drenagem linfática manual, existem alguns oligoelementos que podem ajudar a melhorar esta situação:
O Potássio (K)  move o líquido no espaço intersticial, diminuindo assim a magnitude do edema.
O padrão de uso é:
• Potássio (K) : aplicar o gel contendo o oligoelemento no pulso a qualquer momento.
• Se houver risco de infecção: aplicar uma dose diária de Cu-Au-Ag ao acordar.

Tratamentos Gerais
Tratamento antioxidante e estimulador do sistema imunológico:
Embora seja muito arriscado falar de "causas" nas ocorrência de uma doença neoplásica, estamos todos de acordo se dissermos que o aparecimento do tumor envolvendo todos os fatores que estão relacionados com falhas na integridade funcional do sistema imunológico e os mecanismos oxidação celular.
Portanto, os cuidado com as pacientes que estejam em risco de desenvolver estas doenças ou já desenvolveram, deve incluir elementos que são capazes de regular o sistema imunitário (cobre-ouro-prata, por exemplo ) e antioxidantes (selênio, neste caso).
Portanto, como orientação geral para melhorar a resposta do paciente ao processo neoplásico, podemos usar o seguinte:
• Cobre-Ouro-Prata: aplicar uma dose diária do gel nos pulsos, contendo Cu-Au-Ag, ao acordar, friccionando até a completa absorção
• Selênio: uma dose diária do gel nos pulsos, contendo Selenio, ao acordar, friccionando até a completa absorção.
Este tratamento deve ser mantido continuamente durante 3 meses e depois fazer pausas entre o  tratamento e o período de repouso (por exemplo, 2 meses de tratamento e 2 meses de repouso, conforme o o estado geral do paciente)
Tratamento emocional
É muito comum para esses pacientes  viver com a angústia da situação, tanto devido a doença atual, como quanto ao seu futuro, como perante as mudanças físicas (mastectomia, linfedema) que sofrem com freqüência.
O aconselhamento nestes casos é essencial e insubstituível, mas você pode confiar em alguns oligoelementos que agem positivamente sobre o estado emocional do paciente:

Lítio: Este oligoelemento é geralmente usado em casos de distúrbios nervosos e psicológicos em crianças.
Ele controla a excitabilidade excessiva do sistema nervoso. Por ser administrado em pequenas doses na Oligoterapia (doses fisiológicas) é livre de efeitos colaterais ou contra-indicações e não requer controle.
Manganês-Cobalto: Esta associação é utilizada em casos de estados de ansiedade cronificada.
Atua como um estabilizador do sistema nervoso, a médio prazo, muitas vezes combinado com o lítio para obter os efeitos de forma rápida e duradoura.


• uma dose diária do gel nos pulsos, contendo Mn-Co, ao acordar, friccionando até a completa absorção.

• 1 a 3 vezes por dia: aplicação do gel contendo Lítio.
A duração deste tratamento será adaptado à presença dos sintomas no paciente.
Autor: Maria Magdalena Moreno Mejias

copiado de Saber Alternativo

Auriculoterapia


Auriculoterapia é uma técnica da Medicina Tradicional Chinesa  reconhecida e aprovada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) desde 1990 e utilizada para o diagnóstico e tratamento da doença através da estimulação de pontos de energia específicos localizados na orelha, a fim de tratar várias doenças, incluindo a dor.

As primeiras referências à Auriculoterapia foram encontradas na China, em livros de medicina, em que a orelha é considerada não como um órgão isolado, mas com relação ao resto do corpo.

Esta técnica foi estudada em 1951 pelo médico Dr. Paul Nogier, em Lyon, que constatou que quando cauterizava  certos pontos do ouvido, aliviava a dor ciática.
Devemos a ele os mapas mais usados ​​hoje e nele reconhecemos mais de 200 pontos relacionados a diferentes áreas do corpo.
Considere que o ouvido tem alguma semelhança com a forma que o feto dentro do útero.
E com base nesta posição invertida foi criado o mapeamento fetal com a reflexologia da orelha.

Há muitas indicações para a Auriculoterapia, destacando:

Transtornos de ansiedade, insônia ou depressão
Asma brônquica ea rinite alérgica
Neuralgia: ciática, trigêmeo, pos-amputação de um membro, neuralgia pós-herpética
Problemas digestivos como gases, prisão de ventre, gastrite vômitos, ...
Problemas menstruais
Transtornos alimentares: obesidade, anorexia, bulimia, regulação do apetite
Em vícios: álcool, tabaco e outras drogas
E especialmente para sedação da dor aguda na cabeça, entorses, dor ciática, lombalgia, tendinite, etc

Como é o tratamento no ouvido?
Primeiro localiza-se os pontos reflexos que correspondem à área doente.
É notável que, ao contrário de acupuntura, os pontos auriculares são detectados apenas quando há dor ou patologia.
Em seguida, procede-se  à estimulação desses pontos usando diferentes técnicas:
-Massagem Manual dos pontos doloridos, ideais para crianças
-Laseracupuntura
-Ímãs,
-Agulhas semipermanentes
-Moxabustão para aquecer a agulha ou diretamente sobre a área doente
- Pequenas pérolas de metal com um adesivo que pode ser pressionado várias vezes por dia.
- sementes de mostarda quando as agulhas não podem ser utilizadas devido a reação alérgica.

A orelha é um dos mais locais de fácil acesso e de tratamento, de modo que a terapia é bastante simples, fácil de usar e requer pouco tempo.

Esta terapia pode ser usada sozinha ou como um adjuvante de outras terapias.
Autor: Otilia Quireza


Técnica realizada na região auricular onde existem mais de 120 pontos em cada orelha, pois se diz que existe, nesta região, o cruzamento da grande maioria de meridianos.
Esta técnica é usada pelos chineses há mais de 5000 anos.
Do desequilíbrio energético surgem as moléstias, que são tratadas pela estimulação em pontos específicos na orelha.
Pode ser feita por raio laser, sementes, esferas ou micro-agulhas.
Hoje se utilizam agulhas, laser e corrente elétrica.
Auxilia no tratamento de tabagismo, alcoolismo e patologias comuns cefaléias, insônia, ansiedade, depressão, dores articulares, alergias, obesidade, vícios, alergias em geral, etc.
Acupuntura é uma ciência milenar chinesa que vem ganhando respeito progressivo dentro da comunidade médica.
Atualmente conhecemos o funcionamento da Acupuntura, facilitando a compreensão de como a estimulação de determinados pontos do corpo através da inserção de finas agulhas (além de outros estímulos, como radiação laser, eletricidade ou calor) atua no organismo.
Já foi comprovado que o ponto de Acupuntura nada mais é que uma região da pele rica em terminações nervosas.
Estas, quando estimuladas, enviam informações ao cérebro, onde são processadas.
Como o cérebro controla praticamente todas as funções orgânicas, não é difícil entender o funcionamento da Acupuntura.
Uma comparação que podemos fazer é com o computador.
Os pontos de Acupuntura seriam as teclas, onde introduzimos as informações, e o cérebro seria a CPU, onde estas são processadas.
A Acupuntura é comprovadamente eficaz no combate de diversas doenças, mas também pode ser utilizada como preventiva.
Já foi demonstrada a ação da Acupuntura no sistema imune (que controla a resistência orgânica às doenças) e no tratamento da ansiedade e da depressão.
Para o tratamento de qualquer doença, são necessários um diagnóstico e o conhecimento profundo da patologia.
A aplicação das agulhas no organismo requer o estudo detalhado da anatomia.
As agulhas utilizadas devem ser agulhas descartáveis.



16 de fev de 2012

Gravidez e Oligoterapia - sem contra-indicações!!!

As necessidades nutricionais das mulheres grávidas são diferentes de uma mulher de mesma idade não grávida.  
Estas necessidades variam, também, dependendo do tempo de gravidez, de modo que durante o primeiro trimestre, há poucas diferenças entre as mulheres grávidas e não-grávidas, durante o segundo trimestre as mudanças começam a aumentar, e é no terceiro trimestre, que uma grande mudança ocorre devido ao rápido desenvolvimento do feto nessa fase.  
Além disso, deve notar-se que, após o parto, acontece a fase de amamentação muito inportante nutricionalmente falando.

Neste contexto, em que a nutrição das mulheres é de grande importância, é preciso estar muito atento ao aparecimento de alguns sintomas que devem ser observados,
sinalizando a necessidade de suplementação de minerais (oligoementos) na forma  utilizada em Oligoterapia .

Com esse foco, a Oligoterapia pode agir em mulheres grávidas, tanto com uma ação preventiva como curativa no tratamento de determinadas patologias que ocorrem durante o estado de gravidez.

Claro, vale ressaltar que a oligoterapia não apresenta nenhuma contra-indicação na gravidez: efeitos teratogênicos nem interações com outros medicamentos.


Tratamento preventivo para a GRÁVIDA

- Selênio: a necessidade metabólica desse mineral aumenta durante a gravidez.
Dado que uma deficiência de selênio pode levar a um mau funcionamento do sistema imunitário e aumento do stress oxidativo em células, é desejável manter uma suplementação durante a gravidez com a seguinte dosagem :
  • Selênio: aplicação do gel contendo o mineral em dias alternados durante os segundo e terceiro trimestres da gravidez.

- Cobre-ouro, prata-: o Cu-Au-Ag estimula o sistema imunitário do paciente. Também tenha em mente que o parto é um trabalho físico muito importante para a mulher que deve estar com energia suficiente para executá-lo.
O Cu-Au-Ag é útil para o tratamento dos estados de fadiga e cansaço que podem ocorrer durante este período.
Por esta razão, recomendamos que esta associação de oligoelementos de acordo com o seguinte padrão:
  • C u-Au-Ag: uma aplicação do gel contendo esses minerais a cada dois dias para os segundo e terceiro trimestres. Aumentar para uma aplicação diária no último mês antes do nascimento e continuar, pelo menos, quinze dias após o nascimento.

Tratamento de algumas patologias características da gravidez ou período de amamentação, ou freqüentes DURANTE ESTE PERÍODO

- Edema no tornozelo: inchaço dos tornozelos é muito comum durante a gravidez, especialmente nos últimos meses. Se a ocorrência do edema não é devido a qualquer doença cardíaca ou renal significativa  ou devido à suspeita da ocorrência de pré-eclampsia, este sintoma pode ser tratado com Oligoterapia em gel contendo:
  • Potássio: uma aplicação nos pulsos 1 vez por dia desde o início dos sintomas até o momento do nascimento.

- Os processos infecciosos: em mulheres grávidas é de ocorrência muito freqüente as infecções do trato urinário, mas, é claro, pode haver outras infecções, especialmente o campo de Otorrinolaringologia.
Se ela estiver seguindo o padrão proposto anteriormente contendo selênio e cobre-ouro-prata, é suficiente acrescentar:
  • Cobre: ​​uma aplicação do gel com esse oligoelemento aplicado nos pulsos de três vezes por dia. Se não estiver seguindo o tratamento preventivo, é desejável estabelecer neste momento o padrão acima com selênio e Cu-Au-Ag.

- Vômitos da Gravidez: Um dos sintomas mais comuns e angustiantes que podem ocorrer durante a gravidez. Normalmente aparecem no primeiro trimestre e é comum desaparecer durante o segundo. O tratamento deste sintoma com Oligoterapia:te maneira:
  • Níquel,Cobalto e Enxofre-: aplicação do gel contendo esses minerais 1 vez ao dia. Continuar com o tratamento até que os sintomas desapareçam.

- Anemias PÓS-PARTO : Em alguns casos, durante o parto, ocorre uma perda de sangue provocando o aparecimento de anemia por deficiência de ferro, em outros casos, a anemia ocorre sem perda significativa de sangue, mas condicionadas pelas exigências crescentes de ferro que ocorrem durante a gravidez. Em qualquer caso, sem prejuízo do estabelecimento de um tratamento com ferro, a recuperação deste processo será mais rápido se você seguir este padrão:

  • Manganês, Cobre, Cobalto, Ouro e Prata-: 1 aplicação do gel com esses oligoelementos diariamente. É desejável manter o tratamento durante cerca de dois meses, dependendo dos sintomas e os níveis de hemoglobina do paciente.
- Rachaduras no bico do seio devido ao ALEITAMENTO MATERNO: elas são um problema comum e muito chato, que poderá até mesmo tornar impossível para as mulheres  continuar a amamentação. O tratamento através da Oligoterapia, além de ser eficiente, tem a grande vantagem de que não envolve qualquer problema para o bebê, pois não há necessidade de uma limpeza completa da mama após a aplicação de Oligoterapia e antes de levar a criança ao seio, uma vez que não há nenhum problema se a criança ingerir algum resquício do gel:
  • Cobre, Manganês: Aplicar o gel sobre a área a tratar duas ou três vezes por dia.
Lembre-se também que qualquer outra condição que apareça durante a gravidez pode ser tratada com oligoelementos, sem qualquer contra-indicação!!


Texto de Maria Magdalena Mejias Moreno
copiado do site Saber Alternativo 
adaptado por Mirhyam 

Oligoterapia e crianças


Na Espanha, nascem em um ano quase meio milhão de
crianças e as crianças menores de 9 anos representaram 
quase 4% da população. Sabe-se que a Oligoterapia é uma solução eficaz 
para as doenças da infância.
                                              
Tenha em mente que a Oligoterapia  é uma terapia 
que procura restabelecer o estado de saúde através de mecanismos
fisiológicos, de forma totalmente desprovida de contra-indicações
e efeitos colaterais, por isso torna-se uma terapêutica ideal para ser   
utilizada na infância.
Além disso, nas crianças, a eficácia da administração dos 
oligoelementos é ainda maior do que nos adultos, uma vez que os 
mecanismos que conduzem à disfunção celular são sempre mais 
recente e de reparação mais fácil.
Descobrimos, portanto, uma terapia eficaz e sem contra-indicações
que pode ajudar no tratamento das doenças da infância.
A maior dificuldade enfrentada pelos pais é a hora da medicação!! 

Na  Oligoterapia via derme, basta passar um pouquinho do gel 
com os oligoelementos nos pulsos da criança e pronto! 
Já estará com suas carências supridas!! (adendo Mirhyam)

  Discutiremos  a seguir algumas doenças comuns em crianças, que 
podem ser tratadas com sucesso com Oligoterapia.
 
Gastroenterite
Durante os meses de verão, é uma ocorrência muito freqüente a gastroenterite em 
crianças e adultos.  
Além disso, as consequências podem ser piores nos pequenos, uma vez que 
são mais susceptíveis de sofrer desidratação, devido as temperaturas elevadas do 
verão.
A gastroenterite de verão geralmente é de origem viral e o principal tratamento é a
hidratação adequada do paciente e uma dieta adequada.              
Nessa situação a indicação dos oligoelementos  cobre-ouro-prata, por 15 dias 
ou até que a recuperação total do estado geral do paciente.
 
Irritação da pele
A pele das crianças é muito delicada, por isso muitas irritações comuns aparecem:  
dermatite, etc ....
Neste sentido, o oligoelemento que pode atuar para melhorar a qualidade da
pele e das membranas mucosas, é o enxofre.                                   
 A administração do oligoelemento enxofre deve ser feita em crianças com 
problemas de pele particularmente sensível
Aplicar o gel contendo enxofre 3 vezes por semana durante 2 ou 3 meses. 

Dor de garganta
Infecções respiratórias em crianças sempre parecem se relacionar com o inverno ou 
no outono.
Também é verdade que durante o verão,  pelo consumo de bebidas frias e gelados,
algumas infecções também são comuns nas vias aéreas respiratórias, especialmente 
na forma de faringite e amigdalite.
Em qualquer caso, os oligoelementos podem ajudar a resolver  como se segue:
 
Pela manhã  aplicar gel contendo cobre-ouro-prata (adaptação ao modo como prescrevo a Oligoterapia - Mirhyam)
 
3 vezes ao dia aplicar gel contendo bismuto
 
Continuar este tratamento até que os sintomas tenham desaparecido, quando o gel 
com bismuto deve ser suspenso, e  
continuar com uma aplicação matinal do gel com Cu-Au-Ag três 
vezes por semana durante 1 semana.
 
Muitas outras doenças da infância podem ser tratadas com oligoelementos, aqui 
quisemos fornecer uma pequena amostra de sua importância.
Também queremos realçar o importante papel preventivo dos oligoelementos e como 
eles podem ser utilizados não só durante o início da doença, mas também para regularizar o campo anômalo que tenha sido detectado em crianças.
                                                                                                       
Texto traduzido e adaptado por Mirhyam
Autor: Maria Magdalena Moreno Mejias - texto copiado de Saber Arternativo      






  

9 de fev de 2012

Os novos avanços científicos da acupuntura



por Alex Botsaris
Acupuntura, essa milenar arte chinesa de tratar utilizando agulhas em locais específicos da pele, vem sendo cada vez mais investigada pela ciência.
Sempre intrigou os cientistas como a acupuntura poderia agir de forma eficiente em problemas tão diferentes de saúde.
Alguns resultados pareciam quase mágicos, em especial no tratamento de dor crônica, onde a acupuntura consegue resultados quando todos outros métodos da medicina já haviam falhado.
Também é intrigante as respostas de pacientes com seqüelas neurológicas.
As pesquisas recentes vêm agora revelando como isso acontece.
Foi descoberto que a acupuntura estimula uma capacidade das células nervosas chamada de neuroplasticidade que permite que novas conexões se formem entre elas. Com essas novas conexões formam-se também novos circuitos nervosos que podem conduzir estímulos que antes estavam bloqueados.
A neuroplasticidade ocorre naturalmente e faz parte do processo de recuperação que qualquer pessoa com seqüela neurológica experimenta.
A vantagem é que a acupuntura aumenta de forma significativa essa capacidade das células nervosas de estabelecerem novos contatos, e com isso a recuperação dos problemas neurológicos é maior e mais rápida.

Nos pacientes com dor crônica, foi descoberto que há uma correlação entre a extensão da área do cérebro que é estimulada quando o paciente sente dor, e a intensidade e sofrimento causados pela dor.
A acupuntura atua modulando essa tendência à expansão da área cerebral estimulada pela dor, que diminui, e com ela os sintomas e o sofrimento do paciente.
Esse efeito neuromodulador da acupuntura pode ainda explicar ainda outras das suas ações como a de reduzir a ansiedade e melhorar a qualidade do sono.
Isso explica porque o efeito analgésico da acupuntura pode ser permanente e com isso livrar do sofrimento os portadores de dor crônica.

Acupuntura restaura funcionamento do cérebro e corta o estresse

Ainda no cérebro a acupuntura inibe a liberação de um neurotransmissor chamado substância 'P', que atua como um potente mediador da reação de estresse.
Inibindo essa substância, e aumentando a liberação de endorfinas a acupuntura restaura o funcionamento normal do cérebro e corta o estresse do dia-a-dia, sendo uma excelente opção para esse problema tão comum nos dias de hoje.
Mas as ações da acupuntura no estresse não se limitam a isso.
Ela também causa um relaxamento periférico na musculatura aliviando o quadro de tensão muscular que acompanha o estresse mental.
Cientistas descobriram que isso acontece por um mecanismo chamado arco reflexo - é um caminho que o estímulo nervoso faz, indo pela via sensitiva e voltando pela motora - , através de um inibição dos neurônios motores do *corno anterior da medula.

Acupuntura estimula o sistema imunológico

Foi também descrito o mecanismo pelo qual a acupuntura influencia o sistema imunológico.
Ela atua em proteínas chamadas conexinas que existem na membrana de muitas células, inclusive as de defesa, estimulando-as em suas funções.
Foi demonstrado em pacientes com câncer, recebendo quimioterapia e imunodeprimidos, que a acupuntura estimula a função das chamadas células 'T' auxiliares além de melhorar a capacidade de glóbulos brancos englobarem e destruírem bactérias.
Um mecanismo semelhante explica os efeitos da acupuntura na asma e na alergia.
O estímulo de células 'T' aumenta a formação de anticorpos do tipo IgG, e como conseqüência uma redução dos do tipo IgE, que causam as reações alérgicas.
Outros estudos ainda mostraram que a acupuntura aumenta estímulos específicos através do nervo vago, que restauram os movimentos normais do intestino chamado de movimentos peristálticos.
Esse é um dos mecanismos que explicam a ação da acupuntura em problemas digestivos crônicos, como prisão de ventre e sindrome do cólon irritável.
A ciência estás demonstrando que a acupuntura possui mecanismos de ação mais complexos e variados do que se supunha inicialmente.
Espera-se que com os avanços da pesquisa científica possamos aumentar a eficiência da acupuntura.

*Corno anterior da medula: no meio da medula existe uma parte chamada substância cinzenta onde ficam as células nervosas.
Essa substâcia faz duas reentrâncias sobre a parte externa chamada de substância branca, onde ficam os prolongamentos das células, que depois formam os nervos. Cada reentrância é chamada de corno, uma fica na parte de traz da medula (corno posterior) onde estão as células sensitivas, e outro fica na parte da frente (corno anterior) onde ficam as células motoras.

Atenção!
Esse texto e esta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um médico e não se caracterizam como sendo um atendimento


copiado de  Vya Estelar