Um pouco sobre mim...

Minha foto

Sou alguém que se encanta pela vida no dia a dia, descobrindo sempre novas formas de agir, se melhorando e tentando melhorar o seu redor. Acreditando que a Luz está dentro de cada um e que ela deve iluminar sempre a caminhada. Tenho como intenção: fazer amigos, aperfeiçoar a vida, dedicar-me às boas obras, promover a verdade e reconhecer nos semelhantes meus irmãos de caminhada. Descobrindo sempre mais e mais de vários mundos: Mundos terapêuticos, ideais, sustentáveis, mágicos, de Paz...

8 de set de 2011

OLigoterapia (suplementação de minerais via derme) - Perguntas e Respostas


Qual a importância dos minerais  na saúde?
Nosso corpo funciona atraves de reações químicas  entre as enzimas, e o metabolismo utiliza minerais em doses muito pequenas (os oligoelementos) como o selênio, fósforo, manganês, zinco, ferro e cobre -  que são encontrados naturalmente no organismo, e que as funções enzimáticas- por isso são chamadas de catalisadores – que fazem o nosso corpo funcionar: participam de um número importante de reações fisiológicas.
Cada oligoelemento (micronutriente mineral) tem a sua função específica e age para estimular e produzir determinadas substâncias que são indispensáveis para o bom funcionamento do corpo.
Todos os outros nutrientes, incluindo as proteínas, os carboidratos, as gorduras, as vitaminas e as enzimas necessitam de uma variedade enorme de oligoelementos

Quais os sintomas da falta de minerais?
A carência dos minerais favorece o aparecimento da ansiedade, nervosismo, stress, depressão e outras disfunções, que trazem sintomas desconfortáveis, não detectáveis em exames convencionais, mas incômodos e aflitivos às pessoas acometidas.
Sem sua presença ativa no organismo, estas funções são prejudicadas, algumas reações físico-químicas não acontecem ou tornam-se lentas.
E daí o corpo se desequilibra e vira terreno fértil para oscilações de peso, mau humor, cansaço, depressão, irritabilidade.
“Muitas vezes, não há carência dos oligoelementos, eles estão apenas desativados pela ação do stress, da poluição, da alimentação inadequada...
Esse estado pode provocar males que na primeira fase dão lugar aos males funcionais.
Um quadro típico da falta/desativação desses minerais é quando exames clínicos indicam taxas normais mas você não se sente bem.

O que é Oligoterapia? 

A Oligoterapia é uma terapia holística, mais conhecida na Europa desde 1930 (temos então 80 anos de atuação) e é conhecida também como terapia das funções, é considerada uma terapia suave, porque  trata o doente e não a doença. Ela trata o “doente” como um todo, restaurando o equilíbrio do metabolismo, dessa forma    aumenta as defesas naturais e começa a defender-se, equilibrando a  energia vital, age diretamente no nível celular suprindo as necessidades orgânicas de cada indivíduo e por acréscimo, cuida-se então dos sintomas, começamos no geral melhorando sua qualidade de vida, nutrição e outros.
Assim, o indivíduo equilibrado no âmbito físico, emocional, mental e ambiental. consegue reagir sozinho às agressões do meio ambiente, sejam elas de qualquer origem.    
è a forma de suplementar a carência dos minerais para que o metabolismo funcione corretamente

Há quem compare a oligoterapia uma gota de óleo colocada em uma dobradiça emperrada.
Mesmo que a estrutura da porta esteja normal e todos os elementos necessários ao seu funcionamento presentes, a porta funciona mal.
A gota de óleo (oligoelemento) não altera as estruturas, nem é absorvida por elas, mas é fundamental para o seu bom funcionamento.           
Uma gota de óleo basta, maior quantidade é desnecessária!!!

4- Quem pode se beneficiar com essa Terapia?

Todas as pessoas que desejarem prevenir doenças!!
Principalmente as que já sentem alguns sintomas de desgaste orgânico, tais como: cansaço maior que o habitual; falta de motivação; perda de memória;dificuldades sexuais; sono não reparador;Infecções repetitivas; sinais e sintomas de estresse

Como começou essa  forma de tratar?

Em 1930, o Dr. Jacques Menetrier, inspirado pelos ensinos de Samuel Hahnemann (descobridor da homeopatia prática), apresentou seus primeiros trabalhos, falando da importância de tratar a pessoa e seus sintomas individuais de uma maneira bem natural, utilizando remédios em altas diluições que atuavam na energia vital da pessoa.
"Quanto mais dinamizada, a substância diluída, a atividade biológica do produto original dinamizado persiste, mesmo quando a substância desaparece”.
Este fundamento da homeopatia prática, foi adaptado para a Oligoterapia, já que ela lida com a energia do elemento, o que garante que estamos lidando com íons iguais ao normalmente existentes no organismo, em pequenas doses, fazendo com que o organismo utilize somente o que for necessário ao seu bom funcionamento.

Assim a terapia transcorre sem apresentar nenhum efeito secundário.
A Oligoterapia produz a estimulação da força vital e pela sua  dosagem infinitesimal, ficam afastados os riscos de toxicidade.
Continuando em seu estudo, Dr. Menetrier fez a correspondência entre as doenças e as características físicas e emocionais das pessoas acometidas formulando assim o conceito de Diáteses. 

O que é Diátese?
  
É a  maneira muito específica do corpo reagir aos estímulos internos e externos, ou mais precisamente, o padrão de reação do corpo.  
As doenças são informações que trazemos gravadas nas células e que podem se manifestar ou não dependendo de fatores ambientais (alimentação, poluição, estilo de vida, atividade física, etc).
Cada diátese demonstra um agrupamento físico, emocional e hereditário distintos, medidos através de mapas próprios, usados pelo terapeuta.
O tratamento oligoterápico consiste em suprir as deficiências minerais que cada diátese representa de um modo geral, além de logicamente, o que cada indivíduo necessita particularmente

Quais são as características gerais de cada diátese?
Temos 4 diateses e 2 sindromes de desadaptação.

DIÁTESE I - ALÉRGICO: respostas muito rápidas, excessivas. Os pacientes geralmente são crianças ou adultos jovens, com um quadro alérgico presente (rinite, asma, eczema, alergia alimentar etc.) e/ou sinais inflamatórios articulares, com poucas ou nenhuma alteração laboratorial, são hiperativos, principalmente a noite, com dificuldade de conciliar o sono, e geralmente pela manhã, tem dificuldade de despertar. Irritáveis, dinâmicos, otimistas, hiperreativos e hiperemotivos, com um cansaço de base mascarado por uma constante movimentação e busca de atividades. O tratamento desta diátese recomenda o oligoelemento Manganês (Mn).

DIÁTESE II -  HIPOSTÊNICO: há diminuição nas trocas celulares. As respostas são lentas e de intensidade insuficiente, sintomatologia hiporreativa, tendência a infecções e fadiga anormal e progressiva com o decorrer do dia. Em crianças, caracteriza déficit de crescimento, dificuldade de atenção e concentração, há a tendência a infecções repetitivas (gripes, ORL, cutâneas, por exemplo). O tratamento desta diátese recomenda o complexo oligoterápico manganês-cobre (Mn-Cu).
DIÁTESE III - DISTÔNICO: Há uma desadaptação da resposta celular.  Os sistemas de controle operam de forma anárquica ou inadequada. Ocorre na faixa etária após os 40 anos, onde ele percebe que não é mais como antes - no que se diz respeito ao declínio da sua qualidade de vida. Os pacientes sofrem de sintomas neurovegetativos, evoluindo freqüentemente para quadro de Ansiedade crônica. As patologias iniciam sua passagem do funcional para o lesional. Temos como exemplo: alterações endócrinas e sinais e sintomas da menopausa, artrose, transtornos circulatórios periféricos e centrais, manifestações gástricas, estados de espasmos, perdas de memória, alergias crônicas etc... O tratamento desta diátese requer a recomendação do complexo oligoterápico manganês-cobalto (Mn-Co).

DIÁTESE IV ANÉRGICO: As trocas celulares estão muito diminuídas, quase nulas, há a insuficiência global de de autodefesa imunológica, e impotência terapêutica a qualquer tratamento. Os sintomas variam desde fraqueza transitórias (pós-virais, choques morais, pós-cirúrgicas ou pós-traumáticas) até quadros degenerativos, lesionais e morte. Os sintomas principais são: fadiga global, que não melhora por repouso, fenômenos depressivos, diminuição das faculdades intelectuais, infecções de evolução rápida, severas e repetitivas, com falta de resposta à medicação (antibióticos), envelhecimento geral repentino e evolutivo, câncer e todas outras degenerações celulares. O tratamento desta diátese requer a recomendação de um complexo oligoterápico  Cobre-Ouro-Prata (Cu-Au-Ag + Mg , K (e Li).

As sindromes de Desadaptação hormonal e de  Desadaptação pancreática possuem as seguintes características:


Síndrome de desadaptação pancreática, também conhecida como síndrome endócrina, é importante tê-la em conta já que supõe um desequilíbrio em um sistema tão importante como da regulação hormonal, e pode ser um fator que complique qualquer diátese.
Se trata de uma síndrome  com atuação especial na desregulação hipófiso-pancreática, quando se altera o eixo hipofiso-pancreático, onde os processos de regulação glicêmica são os mais importantes. Neste sentido, o complexo Zn-Ni-Co pode ajudar na pré-diabetes, diabetes, certa obesidades metabólicas, ajuda a controlar o excesso de apetite.
auxilia na esteatose hepática, atua na resposta insulínica acentuada que leva a fadiga, cansaço e a síndrome metabólica causando uma hipoglicemia reacional com queda súbita e momentânea de energia, astenia cíclica,  fome violenta, problemas no metabolismo de gorduras, aumento de peso súbito, queda de cabelos, unhas fracas, acnes no adulto e a intolerância a alimentos que antes eram bem tolerados. Age também diminuindo as crises de Síndrome do pânico.
A Fome voraz; sensação de vazio ou branco mentais e o cansaço ou sonolência depois de comer, também são características da carência desses minerais.
Essas pessoas possuem sintomas ou enfermidades, relacionadas com os hormônios, tais como: transtornos gastrointestinais (gases, etc.), transtornos do metabolismo da glicose, ou das gorduras (diabetes, obesidade, colesterol, etc.…) e mudanças cíclicas do humor. 

Síndrome de desadaptação Neuro-hormonal:
 Quando se trata de dificuldades de adaptação no eixo hipófiso-genital, os sinais e sintomas desta descompensação :são: enurese,calculo renal, diminuição da potência sexual,frigidez,esterilidade,cisto de ovário, endometriose, pré-menopausa e menopausa,andropausa.
 Assim, as disfunções genitais (impotência, dismenorreia, etc.…), as alterações da função prostática e os atrasos do desenvolvimento psicomotor são sinais das carências dos oligoelementos Zinco e Cobre 
  
Qual a técnica utilizada para a indicação das carências minerais?
Faço a avaliação energética do cliente através da Radiestesia e por essa forma faço a  detecção das carências (essa análise pode ser feita também via internet  basta enviar o nome e data de nascimento do interessado)
A avaliação do cliente é reforçada pela aplicação de um questionário onde ele sinaliza suas queixas que confirma a necessidade da suplementação dos minerais encontrados pela análise realizada pelo pêndulo.

Este tratamento é individual e personalizado, uma vez que não existem dois seres iguais no universo.

Como é feito o tratamento propriamente dito?
Os oligoelementos para suprir as carências do cliente (Sigols) são colocados em um gel neutro!!!
Esse  gel neutro que contém os minerais ESPECÍFICOS  ao cliente é aplicado diariamente em sua casa, diretamente na pele, na região do antebraço ou pulso caindo diretamente na corrente sanguínea e não interferindo com nenhum remédio que o cliente já utilize, porque as doses são infinitesimais e não provocam efeitos colaterais.
Semanalmente faze-se a aplicação seguida de ionização no consultório
E, em pouco tempo, sintomas de cansaço, stress, depressão, irritabilidade, fraqueza e perda de memória, desaparecem.

Quanto tempo começamos a ver os resultados??
È um tratamento PERSONALIZADO, simples, eficaz e acessível, onde a pessoa utiliza diariamente por mais ou menos 3 meses.
O aumento da disposição e ânimo, aumento da libido, melhora do sono e da performance física aparecem nas primeiras semanas de tratamento.
Mas tudo irá depender de cada organismo em particular para que se possa dizer por quanto tempo deverá ser utilizada.


Nenhum comentário: